quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Medo de Amar.

Sinto-me tão a mais. Não sentes como me sinto? Quase a enlouquecer. Cheio de medo de amar, tanto medo, mete tanto medo o amor. E depois, imagina tu, o que pode acontecer. Não acontecer nada. É demasiado perigoso, imprevisível, impossível de controlar, deve ser morto logo que apareça, como uma criança antes de o ser. A vida é sempre a mesma e diferente. A náusea, sabes o que é? Se quiseres podes ir ao dicionário. Mas não vais saber. Já te disse, não vale a pena dizer outra vez. Amo-te muito. Não te quero ver. Para fazer o quê? Não me lixes, merda. Acaba com isto que eu não aguento mais. Abraça-me e cala-me com a tua boca sobre a minha. Já, que eu não aguento mais.

(Pedro Paixão- MUITO, MEU AMOR)

5 comentários:

Pink Lady disse...

Um dos meus livros favoritos de Pedro Paixão!

alguém+ neste mar de gente disse...

lindo lindo...

Maria disse...

muito bonito. estás addicted! onde andas?*

Frigida Kahlo disse...

Pedro Paixão é tão, mas tão bom. ADORO!

inês disse...

"...e que ter medo de amar não faz ninguém feliz..."

vai espreitar...


http://youtube.com/watch?v=f1ADgqtU6Zs