terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Desassosegos!

"A tragédia principal da minha vida é, como todas as tragédias, uma ironia do destino. repugno a vida real como uma condenação; repugno o sonho como uma libertação ignóbil. mas vivo o mais sórdido e o mais quotidiano da vida real; e vivo o mais intenso e o mais constante do sonho. Sou como um escravo que se embebeda à sesta - duas misérias em um corpo só."

Fernando Pessoa, o Livro do Desassossego

1 comentário:

Piratona do Aracaju disse...

http://palavraestuprada.blogspot.com/