quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Ás vezes penso, que penso demais.


Ás vezes penso, que penso demais. E que isso me prejudica. Que não me importava de pensar menos e de me preocupar menos. De não aceitar problemas a prazo. De começar a tremer á distância. Mas tenho sempre calma porque sei que um dia tudo vai fazer sentido. Aprendi que é assim e que todos os dias têm um sentido qualquer. Mesmo que mais escondido. Acredito, que se caio é porque me vai fazer bem esfolar os joelhos, e se choro é porque é bom lembrar o sabor do mar. Mas penso demasiado. Nas quedas e nas alturas. E não consigo nivelar-me. Nem sempre pelo menos. E fazia-me falta. Evitava-me oscilações. Picos. Altos e baixos. Accredito que há mais qualquer coisa. Que me faz pensar e preocupar. Acredito que tenho um dedo que adivinha. Que me faz saber. Bem dentro, que sou um bocadinho mais do que penso ás vezes ser. Quero viver. Procurar o que mais houver.

3 comentários:

neu_zita disse...

Apeteceu-me vir aqui só deixar um abraço de sexta-feira. Um abraço quente (o Inverno parece que nunca mais chega a estas terras)daqui para aí :)

Jasmim disse...

Soa-me a familiar... Identifiquei-me.

Pink Lady disse...

Como tudo na vida, isso também se treina. Não é fácil, mas chega-se lá!

Beijos lusos!