terça-feira, 2 de outubro de 2007

Ainda não me consegui habituar.


Ainda não me consegui habituar. É sempre estranho. Tentar entender tanta felicidade, tantos sorrisos.

Ainda não me consegui habituar. É sempre estranho. Tentar entender, o porquê de tantas crianças felizes.

Apenas com um carrinho feito de arames e latas de refrescos... Com os pés descalços e com fome.

Com um mundo de incertezas á frente, o HIV, o baixo índice de escolaridade,a falta de emprego,o incesto, as mães e pais adolescentes, a corrupção, o crime.

Nunca desconfiaram sequer, o que há para além disso, nem desconfiam dos Pokemons, das Playsations, dos ténis da Nike, dos DVDs, dos MP3 ou 4.
São apenas crianças de rua, que passeiam livres e ainda não têem inveja.

Não sei de onde vem tamanha felicidade, mas vem, e gostava de saber de onde. Será da ignorância? Do não saber das coisas fántasticas(?), que no mundo há.

Mas desconfio que sim...que felicidade é aquilo e nada mais. Momentos. Viver cada segundo. Matar a fome com o que há. Não ter vergonha de viver apenas com o que se tem e ser feliz. Muito. Como eles são.

Mas ainda não me consegui habituar. É sempre estranho. Tentar entender tanta felicidade, tantos sorrisos.

Mas ainda não me consegui habituar. É sempre estranho. Tentar entender, o porquê de tantas crianças felizes.

E não conseguir. Será da minha ignorância?
É concerteza da ignorância que a sociedade me ensinou.

4 comentários:

Anónimo disse...

O poder do sorriso é grande, e saber sorrir é algo de muito importante.

Um abraço
Luna

Pink Lady disse...

E serão as playstations, DVD's, MP3's e afins, fontes de felicidade?

Essas crianças vivem com pouco e aproveitam cada pedacinho do que têm. Essa é uma sabedoria que cá para cima nos esquemos...

neu_zita disse...

Gostei muito do texto:)
A felicidade é um estado de espírito e encontra-se dentro de nós.
A verdadeira felicidade vem de dentro para fora e não de fora para dentro.
Nós que temos quase tudo, muitas das vezes esquecemo-nos de ser verdadeiramente felizes:)

formiguita bipolar disse...

As duas últimas frases do post dizem tudo "Será da minha ignorância? É concerteza da ignorância que a sociedade me ensinou."
Até há uns anos atrás pensei que se eu pudesse ter tudo o que sempre quis seria mais feliz. Hoje em dia sou realmente uma pessoa mais feliz, não porque tenho aquilo que na altura desejava, mas porque percebi que ter isso é apenas uma parte da questão e por si só não basta.
Não te esqueças nunca das palavras do Saint-Exupéry: "O essencial é invisível aos olhos".
Beijinhos da Madeira
;)