sexta-feira, 1 de junho de 2007

Os sorrisos...

O último sorriso da noite, guardo-o para mim.
Parece-me justo guarda-lo e isso basta-me.
Todas as noites.
Depois quando te encontrar, juro que os entrego todos.
Sem falhas.
Durante o dia não guardo nenhum, dou todos os que posso.
O primeiro bem cedo, vai para um fiel companheiro.
Todos os dias me dá os bons dias, á maneira dele.
Corre para a porta e lança-me um fixe e um sorriso.
Não tem mais de 6 anos.
E eu sou a sua rotina.
O correr, o sorrir, o fixe.
Eu faço igual, menos o correr.
O sorriso esse é o primeiro do dia.
E talvez o mais bem empregue.
O mais justo e verdadeiro.
É a melhor maneira de começar o dia.
Obrigado.
Que tenhas sempre, esse sorriso.
Sempre, sempre.

2 comentários:

Pedro de Payalvo disse...

de certeza que esse primeiro sorriso do dia vai para quem o merece mais...

mmux disse...

eu tinha um assim no oecussi. como se punha a cantar empoleirado na árvore à frente da casa comecei-lhe a chamar ai-pode. um dia destes mando-te as fotos. é fixe ter-me lembrado dele, já vai um ano que vim para a capital e não faço ideia de como andará. magro, com certeza.